quinta-feira, 14 de junho de 2012

#palacioink2 - Episódio 500

Episódio 500

Quando uma experiência é boa, a tendência natural do ser humano é querer repeti-la... em Outubro passado o #palacioink correu de feição e meio ano depois o evento alargou horizontes até à cozinha DaCozinha. Para uma simbiose perfeita entre tatuagens e comida, o Palácio dos Sonhos voltou a abrir-me as portas para mais uma (que foram duas) jornada inesquecível com Gente Boa à mistura.

Para espreitarem a primeira edição do #palacioink cliquem AQUI !
E para terem uma noção do tipo de evento produzido, saltem até à cozinha clicando AQUI !

De seguida, apresento o resultado do meu trabalho, acompanhado das respectivas histórias e algumas das razões que levaram estes Amigos a confiarem em mim a responsabilidade de os marcar para o resto das suas vidas.
Bem hajam e até breve !
Abreijos:
@guitattoo


" Em latim "ALIS VOLAT PROPRIIS" significa qualquer coisa como "Voa pelas tuas próprias asas" é uma das lições de vida que quero deixar ás minhas 2 crias (daí os 2 pássaros), tendo eles porém a certeza que estão sempre à distância de um braço meu (o pássaro que se encontra no pulso) !
  "Dê a quem você ama: asas para voar, raízes para voltar e motivos para ficar." 
Dalai Lama
Esta é a mensagem da minha tatuagem tão bem dignificada pelo meu amigo ... Obrigada Gui... até à próxima ! "
Lia Whiting

A História de Uma Tatuagem
(Hoc non pereo habebo fortior me)

 "A minha escolha envolveu vários critérios e não foi de todo feita ao acaso.
  Já há muito tempo que tinha o desejo de tatuar uma frase, com um significado. Sabia o que queria que Ela traduzisse, mas não me ocorria a frase perfeita para tal.
  Para mim esta tatuagem tem como objetivo marcar uma fase de mudança, uma nova etapa, o momento em que vou reunir tudo o que aprendi e avançar com a minha vida. Daí ter sido uma escolha tão importante. O significado d’Ela é esse, fazer-me pensar no meu passado, nas coisas boas e nas coisas más, nos erros, nas descobertas, nas dificuldades, na sorte e no azar, nas experiências que tive até agora, juntar tudo isso, aprender, e seguir em frente com mais determinação. Não nos podemos deixar vencer pelos obstáculos que são colocados à nossa frente, devemos ultrapassá-lo e aprender algo com eles. É esse o significado que sempre quis tatuar.
  Depois de tanta pesquisa pela frase perfeita, reparei que ela sempre esteve bem à minha frente, “O que não me mata, faz-me mais forte” diz por poucas palavras aquilo que tento exprimir.
  Não quis tatuar em Português por ser uma frase de certa forma “vulgar” e achei que em Inglês não faria sentido para mim. Escolhi o Latim por ser uma língua morta o que torna a frase menos vulgar, por gostar de como a frase soa quando é lida (“Hoc non pereo habebo fortior me”) e por não se perceber à primeira o que Ela diz.
  O facto de ser na vertical tem três motivos. Primeiro para continuar a fugir à vulgaridade. Segundo por dar uma sensação de equilíbrio. E terceiro, por achar que fica lindo nas costas de uma mulher.
   
A escolha da pessoa que me ia tatuar não foi muito seletiva, mas queria alguém a quem A pudesse confiar. Depois de ver a minha sogra ser tatuada pelo Gui ganhei a confiança necessária e perdi todo o “nervosinho” que tinha naquela manhã. Encolhi os ombros e “bora”. Estava a dar uma música horrível no VH1 e tivemos de deixá-la acabar porque não ia começar a fazê-la ao som daquela música. Começou a tocar outra música, Hurts - Wonderful Life, e foi aí que começou. Demorou cerca de 2 horas. Não estou nada arrependida e adorei a experiência, porque para além de não ter doido e não me ter custado nada, soube bem e Ela ficou perfeita.
  Esta é a resumida história da minha primeira tatuagem."
 Joana de Sousa


 "Depois de ter partilhado a segunda tattoo com a minha irmã e de a ver partilhar a sexta dela com a primeira da minha mãe… bom, o ciclo teria que se cumprir e nós teríamos que nos ver, aos três, marcados de igual forma para todo o sempre. E depois de ouvir falar maravilhas das artes do Guilherme, não podia recusar a «selar» aquela que alguém chama de «santíssima trindade» com esta tattoo.

Obrigado, Guilherme. Esta foi a minha quarta tattoo e a primeira com a tua assinatura." 
João Sousa 
  
onde está deus mesmo que não exista ?
(tattoo VIII)


"Os livros da minha vida estão, a partir de agora, cravados na minha pele para toda a eternidade. Esta frase, de Bernardo Soares, faz parte do Livro do Desassossego que, a par do Bhagavad Gitá, é o livro que me segue e me persegue, pela verdade que transborda das suas palavras. E mais não digo, porque há coisas que só fazem sentido para quem... as sente.
A existir, que deus esteja ao PÉ de mim."


As minhas raízes
 (tattoo IX)

"Bernardo, Camila, Bárbara e Santiago: são os meus meninos-pimpolhos que resolvi tatuar na pele. São os filhos dos outros que mais adoro e que me resgatam sorrisos. E também me dão preocupações. E dão-me a mão – e isso eu gosto muito. E eu estou absolutamente disponível para lhes dar a mão no momento da sua primeira tatuagem – se for esse o seu desejo.
Espero poder acompanhá-los no aprofundar das suas raízes e pode vê-los a dar frutos, passo a passo."
Joana Sousa 


  “Mal soube que iria haver mais um TwittTattoo no Palácio dos Sonhos pensei que seria a oportunidade perfeita para ser tatuada pela primeira vez pelo Gui.
Já andava há algum tempo a pesquisar por algo que significasse a efemeridade e fragilidade da vida humana e que também se relacionasse com o poder e beleza femininos.
As flores de cerejeira são a essência de tudo isso. A vida é passageira, deve ser aproveitada mas não nos devemos tornar muito agarrados a ela porque tudo passa com o tempo. E além de tudo isto, não há nada mais feminino e delicado do que as flores de cerejeira.
Depois de uma troca de emails com toda a explicação e detalhes do que pretendia, o Gui fez a tatuagem ainda mais bonita do que aquela que estava apenas na minha imaginação, e por isso tudo e especialmente pela tua calma (e por não ter doído nada) muito, muito obrigada Gui!

És um artista e gravaste em mim não só uma imagem mas todo um significado. Sempre que olhar para o braço vou-me lembrar da noite (dia) que passámos entre cores, agulhas, risos, música e boa companhia.
Muito obrigada por teres tornado tudo isto possível, apenas com uma agulha, muita paciência e um sorriso que nos faz esquecer a dor.

(Já estou deserta pela próxima troca de e-mails! ;) ) “

Sofia Cartaxo
(Pipía)

"Desde que conheci o Zé que a comida, os cheiros e os sabores tomaram conta da minha vida, sempre, lado a lado, com um amor enorme.
Para lá dos paladares o Zé trouxe à minha vida dois outros homens, o João e o Ricardo, com quem partilhamos muitos dias, e com quem aprendi o que é ser mãe. 
E dizer isto, é dizer pouco, sobre o que o Zé me trouxe de bom...
...sem dizer muito mais, dizendo tudo, o Zé temperou a minha vida, de cominhos, ternura, açafrão, aventura, azeite, amor, flor de sal, carinho e chilli, muito chilli!
Aqui estão os meus chillis ou como diz o Sapinho Filho as "laguetas" da minha vida.
You Spice Up My Life!"
Ana Besteiro


"Depois da rosa selvagem e de gravar o nome da noiva no casamento, em direto para a SIC notícias, chegou a 3ª tatuagem by Gui.

Foi um dia de vaivém intenso, de gente alegre, bem disposta e além das tatuagens foi um dia de comida e bebida, à minha maneira.

Houve visitas de outros continentes, recebemos a food blogger Ishay Govender e um amigo da África do Sul, num jantar e final de noite estonteante.

Para eternizar o momento, já a noite ia alta, o Gui marcou-me com o meu símbolo e parte integrante do logotipo do meu projecto, DaCozinha.

É uma faca e um rolo da massa, a vermelho revolucionário como eu, sem conotação política.

Take my love,

JoeBest"

Sem comentários: