terça-feira, 22 de novembro de 2011

Poesia musical

Episódio 440

"Olá Guilherme,
Agradeço-te, porque marcaste em mim as minhas paixões: música e poesia. Aqui, quero incluir também o meu mentor, o meu avô. Ele despertou em mim essas paixões. E como era agradável enquanto ele tocava ao Domingo à tarde a sua guitarra de fado e eu declamava (ou tentava) poesia.
Essa é essência da tattoo !

A música para mim são sons que se dispersam por toda eu, levando a minha mente a lugares criados por mim, fazem o meu corpo levitar e desfragmentar como partículas de Universo.
Como dizia esse grande génio Friedrich Nietzsche: " A Vida sem Música seria um erro! "
A música une multidões, altera estados de espírito, faz-nos sonhar.

A poesia para mim são palavras que dançam em bicos de pés na minha boca, aguardam ansiosas que as acolha e as mantenha quentes. Agarram a minha alma pela mão e vamos descobrir cometas. Introduzem o punho no meu coração e vão mexendo ao seu sabor.
Disse Voltaire um dia "A poesia é a música da alma, e, sobretudo, de almas grandes e sentimentais."

Como tal: há música que ecoa, sussurra, grita poesia. E poesia que sabe a melodias, sons que nos selam os olhos com um beijo em forma de Clave de Sol.

Tu sim, és um artista, gravas na pele, eternamente, o sonho desenhado pelas pessoas, que sempre que olharem vão lembrar que houve um momento, uma história, e um Artista que tornou tudo possível, com a ponta da sua agulha e o sorriso nos seus olhos que anestesia a dor. Eu apenas me deixei levar...

Obrigada,
Vera tatuada "

Sem comentários: