quarta-feira, 22 de março de 2017

Somos Todos Um

Episódio 886

"Decorria o ano de 2006 quando, “acidentalmente” (nesta data já não via TV), ouvi uma cantora aos “gritos”. Sem olhar, também eu gritei: credo, não batam mais na mulher!!! Como não sou cantora, ninguém me ouviu. E ela, bem … ela lá continuou no seu canto até que, de repente, passa de uns estrondosos agudos para uma sonoridade suave, doce, grave, melodiosa, diria mesmo cativante! E foi esta passagem de canto lírico para fado que me fez olhar para a TV e, aos gritos (ah ah ah, agora eu!), exclamei: mas o que é isto? Fiquei ainda mais perplexa - de olhos esbugalhados (ainda mais? Credo!) e boca aberta a olhar para uma “boneca”, muito caracterizada, e bem!, que me fez pensar tratar-se de um robot!!!
Concluídas as tarefas domésticas em casa da mãe, só parei numa discoteca à procura do CD. Havia um, “Music Box – Fado em Concerto” o seu nome. De Yolanda Soares. Também a capa com um grafismo e forma surpreendentes. Não fosse ela ter cantado em português e eu diria tratar-se de uma cantora estrangeira. O conceito do CD está soberbo!

Passei a comportar-me, literalmente, como uma criança com o seu brinquedo predileto: ouvir, vezes sem conta, o CD. Estilo musical? Uiii, vários! Mistura de Fado, lírico, barroco, gregoriano … Se gosto de Fado? De lírico? Nem por isso, mas também pouco importa. Gostei das misturas. Da orquestração. Do todo, brilhante! A minha música preferida e uma das que mais gosto: “Amanhecer!” Grande hino!

Outubro de 2015, num momento de agitação profissional e pessoal vem a necessidade de acalmar. Claro, o meu melhor calmante, antidepressivo, tranquilizante ou o que lhe quiserem chamar continua a ser … Music Box! E dá-se o clique: quem faz música assim? Quem canta assim? Era um robot? Se é humana existe! Por onde anda? Foi também neste momento que passei a utilizar mais o facebook. Escrevo o nome e … olha, existe, encontrei e anda nas redes sociais!!! Acidentalmente (era muito naba nas redes sociais, agora sou menos kakaka), cliquei em adicionar amigo lol e aquilo funcionou!! E o pedido foi aceite, para meu espanto!!! E … bum! O que eu perdi!
 

Ela tinha lançado outro CD – “Metamorphosis” – , um  CD igualmente soberbo e brilhante e preparava-se para lançar um novo. Ainda tudo no segredo dos deuses kakakak.


Parti à descoberta no maravilhoso mundo WWW. Meu Deus … tanta coisa com qualidade e bonita. É uma artista completa. Pus de lado a minha timidez, armei-me de muito atrevimento e passei a interagir como se a conhecesse desde sempre e tivesse o direito de opinar! Ah Ah Ah, a opinar sobre o seu face, OMG! Bem, isso só aconteceu porque achei que era um dos principais veículos de divulgação do seu trabalho junto de amigos, fãs e seguidores. Portanto, a sua imagem de marca. Que deve ser bastante positiva e assertiva. E também fiquei a conhecer a pessoa. Dona de uma humildade enorme, estilo descontraído, brincalhão e bem humorado, sempre pronta a ajudar e a receber ajuda – não a nega. E foi neste contexto que me lançou o desafio – fazer a revisão do texto de inspiração do seu novo CD, Royal Fado. Nem pestanejei! Claro que faço, oh meu deus, fui às nuvens! Olha eu a “trabalhar” com a minha cantora portuguesa preferida e, ainda por cima, diz que vai pôr o meu nome no CD! O quê?!!?? Hein? Mas eu não fiz nada … o meu nome no CD?? – “Sabe Célia, SOMOS TODOS UM, o facto de eu ser artista não me faz um “bicho” diferente dos restantes. Por isso vejo as qualidades dos outros tão ou mais interessantes que a minha.” Obrigada Yolanda por me relembrar este cliché “somos todos um”, vivemos numa sociedade tão competitiva, egoísta e individualista que cai no esquecimento que o todo é muito mais que a simples soma das partes.


Bem, dizia eu, fui às nuvens!! Pois, e lá fiquei durante algum tempo. De lá fui vendo as novidades que iam gotejando. Eis que se fica a conhecer o logo/brasão do CD. Ah, é lindo, mesmo … ai, e eu que sempre quis fazer uma tattoo … olha, isto fica bem na pele, fica mesmo bem, faço, não faço … mas eu quero recordar para sempre o meu nome no CD!! FAÇO!

 

E quem faz? Tinha de ser alguém com o mesmo gosto e admiração pela artista. Só assim teria a sensibilidade para tatuar algo que não se consegue explicar: sente-se e vive-se num alimentar da alma que acalma, rejuvenesce e nos faz levitar num mundo maravilhoso de sons, cores, luzes e energias positivas. Não foi muito difícil descobrir esse alguém nas muitas interações facebookianas da artista.




Obrigada Guilherme Araújo pela dedicação e pelo carinho com que me recebeste. A tatuagem está linda de morrer. És um espetáculo.

Obrigada Yolanda Soares por permitires que eu faça parte deste teu caminho musical. És enorme.





PS1: Aprendi a gostar de Fado e Canto Lírico. 
PS2: Gui, apesar de a Yolanda ter visto logo a tatuagem no teu face, conseguimos (graças à tua história kakakaka) guardar segredo até ao concerto de estreia.
 



PS3: Quando a Yolanda viu a tatuagem no meu braço também ficou com os olhos esbugalhados e a boca aberta. Célia, isso sai!!??? Não! Ó Célia, isso já não sai mais, sabias?  Claro Yolanda, caso contrário o Gui estaria à perna comigo! Kakaka Gosto de vocês."

1 comentário:

Dani Decoradas disse...

Gostei muito da história, quem diria? hahaha.
Ainda não conheço o trabalho da Yolanda, mas já vou procurar conhecer.
Achei linda a Tatuagem no antebraço, muito legal mesmo.
Eu estou procurando fazer uma também, mas ainda não consegui escolher um desenho que me identifico, vi um que gostei muito neste site, mas ainda nao acho que seja a que mais quero fazer.